Entrevistas
Conheça a história da zagueira da SEA

Maria Gorete ao lado da pequena sobrinha Maria Eduarda, com quem passa a maior parte do dia  Já diz o ditado: mãe não é só aquela que gera, mas também aquela que cria. E no Peladão Feminino não é diferente. Assim começa a história de “dona” Maria Gorete Lima, 50, zagueira do time Sociedade Esportiva Amazônia (SEA).

Apaixonada por futebol é considerada uma verdadeira Mãezona pelas jogadoras da equipe. Experiente e habilidosa, “dona” Gorete não esconde sua satisfação de atuar ao lado das jovens jogadoras e provar que idade não é documento.

“Eu gosto de jogar futebol e não escondo isso de ninguém. O futebol pra mim é uma paixão, eu amo muito tudo isso. Gosto de jogar ao lado essas jovens”.

“Dona” Maria é um exemplo dentro de campo.  Desde 1981 a jogadora cinquentona joga futebol, e há oito anos participa do maior campeonato de futebol amador do mundo.

Além de atuar, Maria Gorete é bacharelado em Química pelo Instituto Federal de Educação Tecnológica do Amazonas (Ifam), mas nunca exerceu a profissão. Atualmente trabalha como como babá dos sobrinhos .

“Eu amo cuidar dos meus sobrinhos, principalmente porque hoje em dia ninguém é confiável para cuidar de criança. Eu gosto muito do que faço e apesar de nunca exercer a profissão de química sou muito feliz”‘, disse.

Bem posicionada em campo a dona da camisa três anulou bem as atacantes do time do Lotus FC na vitória  por 5 a 0 no domingo.

Se você acha que a vida está difícil, que a idade pesa nos ombros, jogue o blá-blá-blá pra escanteio e mire-se nessa mulher.


 
© Copyright 2004 - 2014 / Todos os direitos reservados a Futebol do Norte