Colunistas
A Faca e o Queijo
por Francisco Dandão



Em partidas de ida e volta, empatar na casa do adversário é um ótimo negócio. Significa, grosso modo, que os times em confronto se equivalem e que, assim sendo, quando o segundo mandante jogar em casa, terá vantagem sobre o visitante. Pela lógica, o raciocíno é esse mesmo, sem tirar nem por.

Por esse e outros motivos é que os regulamentos determinam que marcar gols na casa do adversário serve de critério favorável ao visitante. E assim, um dos maiores cuidados que o time que joga nos seus próprios domínios toma é o de passar o ferrolho para não deixar vazarem a sua meta.

Ganhar na casa do adversário no jogo de ida, então, se configura o melhor dos mundos. Teoricamente, quando uma situação assim se materializa, o time que vai fazer a partida de volta em casa passa a ter uma vantagem considerável. Só não pode entender que isso basta para o sucesso.

Nesse sentido, o resultado que o Atlético Acreano conseguiu no sábado passado, no jogo de ida das quartas de final do campeonato brasileiro da série D, ao vencer o gaúcho São José na casa deste, Porto Alegre, pode ser considerado excepcional. O Galo venceu por um a zero.

E esse placar magrinho, ressalte-se, pode-se creditar pelo fato de que o ataque do Galo nem resolveu dar as caras na partida. O gol do jogo foi marcado pelo Diego, um zagueiro que não está acostumado a ir às redes inimigas. A bola veio do escanteio, ele apareceu como fator surpresa. Saco!

Então, considerando tudo isso que foi dito até aqui, no meu entendimento o Atlético está nesse momento com a faca e o queijo na mão, para obter outro bom resultado em casa, na partida de volta, marcada para o domingo. Só tem agora que afiar a faca para fatiar o queijo em pedacinhos.

Um queijo de coalho, daqueles que a gente compra numa birosca, igual àquelas na estrada para Brasiléia, fatiado em pedacinhos, pode ser um manjar dos deuses quando é o nosso time que se consagra na vitória. Um queijo que possa ser multiplicado, como no eterno milagre bíblico dos pães.

A série C está a um passo de distância. Tudo o que separa o futebol acreano de um patamar mais elevado na escalada no mundo da bola brasileira são noventa minutinhos. Eu diria até que o mais difícil, chegar aqui, já foi feito. Agora é ir para o game como se não houvesse um amanhã.

Devaneios à parte, porém, o que de fato vai contar para o Atlético despachar o São José é a seriedade e o foco com que deve ser encarado o jogo. Esse um a zero conquistado no sul do país dá boa vantagem, mas não garante nada. Falta uma gota de alegria para encher o cálice da felicidade!

 
© Copyright 2004 - 2017 / Todos os direitos reservados a Futebol do Norte